quarta-feira, 25 de abril de 2012

A LAMENTÁVEL MÁFIA LITERÁRIA (Part 2)


“Gabriel, O Pensador fala sobre polêmica envolvendo cachê e reclama com o escritor gaúcho Carpinejar pela repercussão do caso.”
A maioria dos escritores convidados a participar da “Feira do Livro de Bento Gonçalves” (RS), entre 9 e 20 de maio, resolveu manter a participação no evento literário, apesar da polêmica envolvendo o “cachê da discórdia” de R$ 170 mil oferecido ao patrono convidado, Gabriel, O Pensador. Como todo mundo já sabe, o escritor Fabrício Carpinejar divulgou uma carta aberta cancelando a presença no encontro literário.

O “cachê da discórdia”, considerado exorbitante por grande parte da comunidade cultural, também motivou um comunicado da Associação Gaúcha de Escritores (AGES). “Não estranha que Gabriel cobre R$ 170 mil para ser homenageado. Cada um cobra o que quer pelo seu trabalho. O problema maior é quem paga uma exorbitância, a fim de que seu município possa ficar sob os holofotes”, defendeu a entidade, no documento.

O cantor – além de ter dado uma entrevista ao G1 sobre a polêmica – também contou que reclamou por telefone com Carpinejar, já que a polêmica começou depois das declarações do escritor, também pelo Facebook, que resolveu cancelar sua participação na feira depois de saber da diferença dos cachês pagos. 


Segundo Gabriel, Carpinejar teria se justificado alegando que o protesto não era contra custo destinado aos projetos de Gabriel na cidade, mas contra a prefeitura por não terem investido mais no cachê de autores locais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário