sexta-feira, 4 de maio de 2012

lua cheia



lua cheia

esta lua absolutamente cheia
me torna lobo fora da matilha
minha trilha sinuosamente é torta
em tudo aquilo que inda sou capaz
não quero a paz das coisas semi-mortas
como faminto lobo vou uivar em tua porta
desvendar teu corpo/morada
esteja atenta nesta madrugada
quando deitar em tua cama exposta
que esta lua cheia jorrará na carne
o voraz da fome que o diabo gosta

arturgomes
www.pelegrafia.blogspot.com



Uma lua que em voracidade
sobre humana
também me suga a seiva
da fugaz paixão
me prostrando inerte
aos seus desígnios místicos
me quedando ouriçado
ao seu tesão frenético
deixando-me lunático
das tantas marés d'alma

José Facury

2 comentários:

  1. Magnífico ARTUR, versos criativos e que tocam fundo no coração, parabéns.

    ResponderExcluir