terça-feira, 5 de junho de 2012

Gagaú onde o tempo não tem pressa

Aqui vive-se da sorte do mar e do mangue. Cerca de 2 mil pescadores e catadores de caranguejos e suas famílias sobrevivem da pesca. Boa parte deste contingente são pescad0res artesanais, com sua pequenas embarcações vão até a boca da barra, entre o rio Paraíba do Sul e o oceano Atlântico, pescar de redes de arrastão, tarrafa ou anzol, ou navegar pelos 3 alqueires de manguezais aqui existente a cata de caranguejo. Pelo que pudemos registrar, há a necessidade urgente de um trabalho de educação ambiental na região, para a preservação das espécies da fauna  e da  flora ali existente, pois uma quantidade enorme de lixo pode ser vista as margens dos canais e braços de rio  que irrigam os manguezais, além do impacto provocado pela construção do porto do açu.

artur gomes

Nenhum comentário:

Postar um comentário