terça-feira, 29 de abril de 2014

a pele da palavra

fotos: Artur Gomes


a pele da palavra
lavra do que penso e quero

Artur Gomes





A Traição das Metáforas

Iracema clara da gema
palavra que procuro
rabisco no escuro
os teus olhos d´água
mergulho tua pele como  fosse água

teus lábios no espelho
 batom vermelho em tua boca
lago de narciso -  minha fonte
em algum verso de Cecília
nos anais da inconfidência
não te juro inocência
quando pensei Marília

mas era um outro nome
que minha língua soletrava
elétrika como flecha de fogo
metáfora como uma feixe de carne
e o poema esparramado
no teu corpo quente
como vulcão em brasa

e a língua vasculhando a casa
e a casa virada pelo avesso
tuas pernas estendidas na varanda
num varal de rendas
me mostrando as fendas
que o temporal lavrou


Artur Gomes

Nenhum comentário:

Postar um comentário