sábado, 21 de março de 2015

mar de búzios



mar de búzios

vaza sob meus pés um Rio das Ostras 
as minhas mãos em conchas 
passeiam o mangue dos teus seios 
e provocam o fluxo do teu sangue 

os caranguejos olham admirados 
a volúpia dos teus cios 
quando me entregas o que traz 
por entre as praias 
e permites desatar 
todos os nós do teu umbigo 

transbordando mar de búzios 
oceanos - atlântico pulsar entre dois corpos 
que se descobrem peixes - 
e mergulham profundezas 
qualquer que seja a hora 
em que se beijam num pontal 
em comunhão total com a natureza 






Cezane não pintava flores

Cezane não pintava flores 
montado em seu cavalo alado 
despeja cores 
no corpo da mulher amada 

com os pincéis 
encravados entre as coxas 
transformou Hollandas 
em quintais de vento 

reINventou o tempo 
na hora de pintar

Nenhum comentário:

Postar um comentário