quinta-feira, 19 de março de 2015

Sarau Baião de Dois - Apresenta:


No roteiro criado por Winston Churchill para homenagearmos a poesia sagrada de Manoel de Barros, amanhã no Sarau Baião de Dois 7ª Edição, no SINSEFE – Rua Álvaro Tâmega, 132, frisa sobre “as lágrimas que devemos à morte do velho, e os aplausos  necessários  ao surgimento do novo”.
Então com vocês: Isabela Prudência a mais legítima representante da novíssima poesia em Campos

Luz dos olhos dela
(Isabela Prudencio)

As estrelas são do céu
Poeira do que eu sou da terra.
Não brilho na luz intensa dos olhos dela.
Sou a fênix engaiolada.

Sou um corvo vivendo de escuridão.
A minha luz é intensa, mas se perde num sol mais próximo e maior.
Qualquer brilho é maior que o meu?
Eu preferia morrer a essa clausura.
Tradições e minhocas implantadas em meu cérebro pelos ouvidos.

Sou da escuridão da cor dos meus olhos,
Mas a cada machucado eu me deixo doer mais.
A chave da minha casa é a chave da minha prisão.
Estou engavetada e imortalizada numa foto na sala.
Eu deixei me transformarem em menina comportada.

Fulinaíma Produções


Nenhum comentário:

Postar um comentário