sábado, 16 de abril de 2016

antropofagicamente



antropofagicamente

comerás da minha pa/lavra/carne
mastigarás todos nervos e músculos
e matarás tua fome
esse desejo não tem nome
e me consome esta vontade
de ser devorada de verdade
pelos teus dentes de sede
pelos teus dedos de seda
pelos teus poros na rede
sem que até mesmo percebas
se o que tu comes é saudade

Federika Lispector

Nenhum comentário:

Postar um comentário