quinta-feira, 19 de maio de 2016

no coração dos boatos 2





no coração dos boatos 2

Agora que ocupo  esta cadeira de Presidente do Reino/ficção de Assombradado, acabo de nomear como meus assessores diretos todos os membros da Mocidade Independente de Padre Olivácio, começo a
desfiar a colcha de mistérios que envolve o nosso vizinho Reino Imperial de Brasylândya desde as década de 50/60 do século passado. Há muito venho me perguntando: - quantos mendigos Sandra Cavalcanti afogou no rio Guandu? Quem deu o tiro de misericórdia no assassinato de Getúlio Vargas? Quem desligou o aparelho que mantinha Tancredo Neves respirando? Por quê até hoje o corpo de Ulisses não foi encontrado?
Como podem v(l)er são muitas perguntas ainda sem respostas, e por quê também os órgãos investigatórios do vizinho Reino até hoje não se esforçaram em esclarecer?
 Como nosso mestre Uilcon Pereira sempre observou: - o homem/aranha também é um fantasma que transita pelos telhados obscuros de Brasylândya e Assombradado, e na ex-capitania dos Goytacazes Usina sempre foi e sempre será Usura.

Bracutaia Pereira da Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário