quarta-feira, 3 de agosto de 2016

com os dentes cravados na memória



com os dentes cravados na memória
os acasos do destino que não acontecem por acaso

Em 1995 na ex ETFC hoje IFF, criei o projeto: Retalhos Imortais do SerAfim - Oswald de Andrade Nada Sabia de Mim. Uma das atividades do projeto era a performance de teatro.poesia com fragmentos da obra de Oswald. Desde 1994 vinha ensaiando a performance com uma dupla de alunos da Oficina de Artes Cênicas da ETFC, Rey de Sousa e Clarice Terra.

Era parte também do projeto duas exposição de poemas.gráfico.visuais: Retalhos Imortais do SerAfim e Os Órfãos de Oswald. Com o convite da UFMG para apresentações durante o Festival de Inverno em Ouro Preto, nos instalamos no porão da Casa Guinard, para montarmos as duas exposições e exibir a performance.

No primeiro dia da apresentação da performance,  percebi que durante todo o tempo, havia uma menina, sentada junto a parede de frente para o palco, que me comia com os olhos. Terminada a performance, ela se apresentou a mim, dizendo-se chamar Nirvana Marinho, e que queria dançar no espetáculo, no momento em que eu interpretava o poema Cântico dos Cânticos Para Flauta & Violão, de Oswald de Andrade.

Nirvana, me confessou que estudava na Escola de Dança da Unicampi, e naquele momento fazia pós-graduação com foco na obra da bailarina alemã Pina Bausch, e tinha como orientadora Marília Andrade, a filha de Oswald. Para que se concretizasse sua participação na performance,  gravei o poema em uma fita cassete, e lhe enviei pelo correio. Uma semana depois recebi sua resposta, dizendo-me que a coreografia estava pronta, que já podíamos ensaiar.

Em sua primeira edição Retalhos Imortais do SerAfim - Oswald de Andrade Nada Sabia de Mim, foi realizado no SESC Consolação em São Paulo, de 16 a 31 de outubro de 1995. No elenco da performance eu contava com Clarice Terra, Rey de Sousa e Nirvana Marinho. Depois percorremos mais algumas unidades do SESC pelo Estado de são Paulo.


Essa foi a minha primeira experiência com teatro.dança.poesia. e me despertou o interesse em me aprofundar mais no assunto, o que me levou a uma pesquisa de extensão na Unicampi tendo Nirvana Marinho como parceira, para montagem do espetáculo - Magma - Um Planeta Onde O Poema Dança, tendo no repertório os poemas de Guimarães Rosa, do livro homônimo, que até então eram impublicáveis.

Artur Gomes 

Nenhum comentário:

Postar um comentário